Estamos Localizados a 11km do centro de Caxambu, sendo 7km de estrada de terra bem sinalizada.

Estrada do Vale Formoso Km 7

Lat -21.9072    Long -44.9107

CONTATO

 (11) 99629-9597
(WhatsApp – Guilherme Picolo)

© 2020 Chalés de Minas

Caxambu - MG

Hotel Fazenda

Chalés de Minas

Todos os anos fazemos uma caminhada com hóspedes e amigos nos principais pontos turísticos de nossa região. Abaixo estão as principais caminhadas que fizemos:

Um dos picos mais emblemáticos de nossa região e de fácil
acesso, o Pico do Papagaio é uma das melhores, senão a melhor,
opção para quem gosta de uma caminhada eventual e que não
possui muita experiência. É possível fazer a subida por pelo menos
3 trilhas diferentes saindo de diferentes lugares. O mais indicado é
o caminho pela Cachoeira dos Garcia em Aiuruoca. Há um
estacionamento ao lado do aconchegante restaurante Casal Garcia
com uma vista sem igual. O melhor momento para desfrutar desse
agradável ambiente é na volta do Pico do Papagaio para tomar
uma bebida gelada e mesmo uma boa refeição. A subida por este
caminho é branda e não é necessário pressa já que o caminho é
relativamente curto comparado à outras caminhadas. Seu percurso
por este caminho totaliza cerca de 18 km ida e volta levando 6
horas.


2019 - Pico do Papagaio

 

2018 - Travessia Rancho Caído - Parque do Itatiaia à Maromba / Visconde de Mauá

​Início na portaria do Parque Nacional do Itatiaia (Posto Marcão), portaria
da parte alta do parque. A trilha passa pelo caminho principal do parque à
caminho do início da trilha para o Pico das Agulhas Negras passando pelo
Abrigo Rebouças, a paisagem é um dos principais atrativos dessa
travessia. Passamos pelo Rancho Caído na hora do almoço, local usado
para acampamento de alguns caminhantes. Após o Rancho Caído o
caminho é praticamente em descida até a Cachoeira do Escorrega na
Maromba. A travessia foi feita em pouco menos de 10 horas em um
percurso de 26 km.

2017 - Caminhada Cachoeira do Caldeirão / Retiro dos Pedros (Baependi)

Uma longa caminhada sendo que o caminho de ida e volta foi feito pelo
mesmo local. Nosso objetivo principal era atingir o pico do Canjica que,
devido ao mato alto, não conseguimos encontrar a trilha final de ataque ao
pico. Com o tempo curto, já que foi uma caminhada de um único dia, não
tivemos muito tempo para desbravar e procurar a trilha e então voltamos
sem atingir o pico. No entanto o caminho foi recompensador já que

passamos por locais como o Retiro dos Pedros e locais emblemáticos como

a Casa de Vidro e o Tótem Santo Dime. Devido às mudanças nos planos

durante a caminhada, perdemos algumas anotações de distâncias, mas c

alculamos um trajeto de 25 km em mais de 10h de caminhada, retornarmos

para o carro já à noite com auxílio de nossas lanternas.

2016 - Pico da Pedra da Mina / Serra Fina

Até pouco tempo, o Pico da Pedra da Mina era pouco conhecido e pouco explorado. Era catalogado como o quinto pico mais alto do Brasil. No entanto em 2004 foi feita uma nova medição e se descobriu o Pico da Pedra da Mina é mais alto que o Pico das Agulhas Negras. Ou seja, o Pico da Pedra da Mina é o quarto pico mais alto do Brasil. Esse é apenas um dos motivos que faz dessa trilha a mais difícil de toda nossa região. Além da altitude, o caminho é longo, íngreme e o pior, não tem água no caminho, somente no início da trilha o que significa que todo esse trajeto, íngreme. longo e cansativo, deve ser feito com muito peso nas costas, especialmente pelo equipamento de acampamento necessário, já que é inviável fazer essa trilha em um só dia. Dentre todos nossos passeios, esse é de longe o mais difícil e cansativo. Mesmo para nós que estamos acostumados com esse desgaste, o cansaço foi fora do comum, por isso é necessário um bom preparo físico e experiência para subir a Pedra da Mina, localizada na Serra Fina, que leva esse nome devido ao seu formato de uma estreita serra. Grande parte do caminho é por essa crista da Serra Fina, o que privilegia os caminhantes com cenários maravilhosos olhando para a direita ou esquerda. De cima do pico se tem uma vista sem igual para a Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba além das demais enormes montanhas ao seu redor, inclusive está bem próxima do Pico dos três estados que faz a divisa de MG, RJ e SP. Esse pico faz parte da travessia da Serra Fina que pode ser feita à partir de 4 dias. No entanto nosso passeio foi somente ao Pico da Pedra da Mina, voltando pelo mesmo local no dia seguinte após uma noite de acampamento. Para ter noção da dificuldade de acesso ao pico, o ataque final ao cume da montanha só é feito no segundo dia, já que no primeiro dia, mesmo caminhando o dia todo, chegamos somente ao acampamento que ainda está a cerca de 3 horas de caminhada até o cume. Por isso mesmo, a descida deve ser rápida logo após à chegada ao pico para dar tempo de retornar ainda com luz do dia. Essa trilha jamais deve ser feita sem um guia ou por pessoas sem experiência.

2015 - Pico da Bandeira

​Apesar de não estar na nossa região da Mantiqueira esse emblemático
pico não poderia faltar em nosso histórico de caminhadas. Terceira
montanha mais alta do Brasil com lindas paisagens, é um passeio
indispensável para quem gosta desse tipo de atividade. O pico fica na
divisa entre Minas Gerais e Espírito Santo sendo que é possível ir e voltar
por caminhos diferentes, podendo iniciar a trilha em MG e terminar no ES,
ou vice versa. Nosso passeio foi feito em um só dia, no entanto é mais
recomendável acampar uma noite devido ao longo e puxado trajeto.
Chegamos ao local marcado com nosso resgate já à noite.

2014 - Parque Nacional do Itatiaia - Prateleiras

Podemos descrever esse passeio praticamente da mesma maneira que
descrevemos nossa subida ao Pico das Agulhas Negras. Fica no mesmo
parque, entrando pela mesma portaria e até mesmo os 4 primeiros
quilômetros são na mesma trilha. Na altura do Abrigo Rebouças é que as
trilhas se separam. A principal diferença entre ambos passeios é que para
subir as Prateleiras, a exigência física e técnica é muito menor. Diferente
do Pico das Agulhas Negras, não é necessário equipamentos especiais
como cordas. A trilha é mais curta e a subida na parte das pedras é bem
mais tranquila. Apesar de ter altitude inferior ao Pico das Agulhas Negras,
a vista do alto das Prateleiras é considerada mais bonita por muitas
pessoas. Para chegar à essa definição, somente subindo nos dois picos e
tirar as próprias conclusões. O passeio todo tem cerca de 12 km de
extensão feito em média em 6 horas.

2013 - Travessia Charco - Cachoeira do Caldeirão (Baependi)

Início na sede do Parque Estadual da Serra do Papagaio na região do Charco localizado no município de Alagoa (município mais alto das Terras Altas da Mantiqueira). No caminho, passando por uma rica fauna, passamos pela maior concentração de araucárias do estado de Minas. Também há cachoeiras praticamente intocadas que ainda não foram catalogadas, uma região ainda muito pouco explorada. A travessia acaba em uma das mais belas cachoeiras de Baependi, a famosa cachoeira do Caldeirão (descrevemos sobre a Cachoeira do Caldeirão mais abaixo). Com um percurso de 20 km, fizemos o percurso em aproximadamente 8h nessa travessia que é de nível moderado. Assim como em nossa travessia de 2011 em Visconde de Mauá, precisamos organizar a logística de transporte, já que fomos deixados na região do Charco e o resgate seria na Cachoeira do Caldeirão (o que não aconteceu devido à uma falha de comunicação, mas o cômico desfecho a gente conta aqui no hotel)

2012 - Parque Nacional do Itatiaia - Pico das Agulhas Negras

Talvez uma das mais famosas montanhas do Brasil, o Pico das Agulhas Negras, fica no Parque Nacional do Itatiaia localizado nos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. O parque, que fica em local de altitude, possui uma vegetação única em um local que muitos dizem parecer de outro planeta. Realmente um lugar muito diferente do restante da Serra da Mantiqueira. Após deixar o carro na portaria principal do parque (posto Marcão), se inicia uma caminhada plana, passando pelo abrigo rebouças, local utilizado para passar a noite por montanhistas, (precisa ser reservado com certa antecedência). Passado o abrigo a trilha se estreita e após poucos quilômetros, se inicia o trecho em pedra. À partir desse trecho, a trilha exige experiência pois a subida é toda em pedra até o cume. Inclusive há trechos com cordas fixas para o auxílio da subida assim como para chegar ao cume principal e assinar o livro, é necessário fazer rapel ( com os equipamentos próprios) e uma leve escalada, também usando os equipamentos de segurança, para chegar ao cume e assinar o livro. Caso você não tenha esse espírito aventureiro para fazer rapel, não se preocupe, a maioria das pessoas que sobem o pico, ficam nessa área antes de chegar ao livro, já que lá em cima há uma área ampla para descanso com uma vista sem igual. Desde a saída na portaria do parque até o retorno são cerca de 7 horas e um deslocamento aproximado de 14 km. A exigência física não é tão alta, mas a exigência técnica sim.

2011 - Travessia Serra Negra - Maromba / Visconde de Mauá


Um dos passeios com uma das melhores paisagens das terras altas da Mantiqueira passando por campos de altitude, possui dificuldade média para alta devido à variação constante de altitude. Os destaques da travessia, são as trilhas apelidadas de “Facão“, que são estreitas trilhas com abismos de ambos os lados. Essa trilha era utilizada para o transporte de queijos mineiros para a região turística de Visconde de Mauá. Esse transporte ainda é feito por mulas que têm alguma dificuldade em passar por essas trilhas estreitas com abismos dos lados. O início dessa travessia foi em Serra Negra, no município de Itamonte terminando na Maromba, em Visconde de Mauá. Em seu ponto mais alto a trilha tem 2200m de altitude e seu percurso total foi de 24 km feitos em 10h de caminhada com várias paradas no caminho. Devido ao início e término da travessia serem em locais bem distantes, foi necessário organizar a logística de transporte onde fomos deixados no ponto de partida e resgatados na Maromba.

Ponto mais alto da Serra do Chapadão, o Pico da Careta possui 2080m de
altitude. É um dos destinos favoritos para trekking. Seu nome se dá devido
ao formato da serra que parece um rosto de uma pessoa deitada de perfil.
A forte subida de cerca de duas horas é compensada pela vista do alto do
rochedo. Distante 49 km do hotel, fica localizada no bairro da Vargem da
Laje é uma das melhores trilhas de acesso moderado que há na região.

2011 - Serra da Careta

  • Black TripAdvisor Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon